Prefeitura Serviços Municipais Empresas Servidores Municipais Turismo Transporte Coletivo PPP Parceria Público Privada Portal da Transparência

AMVALE

28/08/2019 - Em dois anos, usina deverá produzir energia a partir dos resíduos sólidos urbanos produzidos na região

Dentro de dois anos, através de uma PPP (Parceria Público-Privada), poderá entrar em funcionamento uma usina de tratamento de resíduos sólidos urbanos (RSU) na região. Esta semana, em Uberaba, durante dois dias, terça e quarta-feira (27 e 28), representantes dos municípios consorciados ao Convale (Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional do Vale do Rio Grande) participam de uma oficina de capacitação voltada ao acompanhamento de elaboração do Plano Regional de Gestão de RSU que deverá definir o projeto a ser implantado.

Organizada pela Agência de Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ), a atividade mobiliza gestores e técnicos, bem como representantes da Funasa,  Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e Caixa Econômica Federal, por intermédio do FEP Caixa (Fundo de Apoio à Estruturação e ao Desenvolvimento de Projetos de Concessão e Parcerias Público-Privadas), criado com o objetivo de financiar serviços técnicos especializados para o desenvolvimento de projetos destinados a investimentos em infraestrutura.

A programação é desenvolvida no anfiteatro da Fiemg Regional Vale do Rio Grande, na praça Frei Eugênio, 365, 2º andar. A  facilitadora convidada é a engenheira civil Heliana Kátia Tavares Campos. O moderador é Guilherme Gonçalves, da GIZ.

De acordo com o presidente do Convale e prefeito de Campo Florido, Renato Soares de Freitas, após a oficina iniciam-se os preparativos para a realização do workshop, também em Uberaba. Na oportunidade, os municípios vão se pronunciar em relação ao que a GIZ e a CEF trazem para o plano de estruturação do projeto de RSU. Cada município vai expor suas dificuldades desde a coleta até a entrega desse material recolhido para destinação final. “No dia 03 de setembro vamos chancelar o Plano, em audiência pública. Em seguida, com o plano pronto será aberto o processo licitatório que vai habilitar e contratar empresa para conduzir o projeto. Poderá ser, por exemplo, por incineração, combustão, geração de energia ou geração de biomassa”, diz.  O presidente do Convale espera que todo processo esteja concluído em 2020, com expectativa da planta entrar em operação em 2021.

Heliana Campos destacou, por sua vez, será formada uma equipe para trabalhar o Plano Regional de Gestão dos RSU. Disse que o plano já está em fase de desenvolvimento. E acrescentou: “Já começamos o diagnóstico. Vamos verificar, agora, se o plano contempla todas as necessidades previstas na Lei Nacional de Resíduos Sólidos (nº 12.305). Cada município vai ser olhado em detalhe para que o plano cumpra exatamente às suas
necessidades”, diz.  Para ela, a região da área do Convale é “muito privilegiada e muito rica”, além de dispor de profissionais altamente qualificados para a tramitação de todos os pontos da proposta. Para troca de experiências, representantes de outros projetos do Governo Federal também participam da oficina, dentre eles, dos estados de São Paulo, Goiás, Ceará e Piau que estão têm o mesmo tipo de financiamento.

O analista de infraestrutura da Secretaria Nacional de Saneamento do MDR, Dogival Costa Júnior,  sinalizou que os municípios do Convale têm, nesse processo de estruturação, a possibilidade de licitar e conceder os serviços na área de RSU para iniciativa privada. “A capacitação para elaboração do Plano Regional é uma ferramenta fundamental que a lei estipula para que os municípios possam ter acesso aos recursos federais e geridos pela União”.

Por fim, Guilherme Gonçalves, da GIZ, explicou que a agência alemã apoia o MDR no processo de estruturação da concessão no âmbito do Convale. “A nossa responsabilidade é a capacitação dos entes públicos para que estejam preparados para as definições acerca da concessão a ser utilizada. Na próxima etapa, será discutido o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental, em fase de preparação pelas consultorias do FEP/Caixa”, completou, ao informar que a concessão poderá ser de pelo menos 25 a 30 anos, segundo projeta o fundo.


Lúcio Castellano – MG 04052 JP
Assessor de Comunicação/Amvale

 
 
 

Outras Notícias: AMVALE



Voltar
Prefeitura Municipal de Uberaba
Fique por dentro dos nossos canais sociais:

Facebook Prefeitura de Uberaba Twitter Prefeitura de Uberaba Instagram Prefeitura de Uberaba Whatsapp Prefeitura de Uberaba
Prefeitura Municipal de Uberaba - Todos os direitos reservados.
Av Dom Luiz Maria Santana, 141 - CEP.: 38061-080- Uberaba - MG - Tel.: (34) 3318-2000
Atendimento ao Público: Das 12h às 18h.
Desenvolvido por: Codiub